Índios são evangelizados em Ipuaçu (SC)


   João enfatizou em seu evangelho a universalidade da salvação: “Deus amou o mundo de tal maneira que Deus o seu filho Unigênito…”. O amor de Deus em Cristo ultrapassa barreiras, raças, etnias e status social. O evangelho autêntico não traz acepção de pessoas, mas busca transformar o mais vil pecador. É baseado nesse parâmetro bíblico que muitos índios das tribos Kaigangs e Guaranis tem sido evangelizadas na pequena cidade de Ipuaçu, a 50 km de distância de Xanxerê, no Oeste Catarinense, e quase na divisa com o Estado do Paraná.

   O nome da cidade significa “lajeado grande” ou “fonte grande” caracterizado pelos lagos existentes que alimentam atualmente a usina hidroelétrica. De acordo com o IBGE (2019), há aproximadamente 7.500 habitantes no município, sendo que praticamente a metade é de origem indígena. O Pastor-Presidente da Assembleia de Deus local, Luiz Juvenal, atua na região há quase cinco anos e afirma que aproximadamente 200 famílias já receberam uma visita pastoral nos últimos meses. Ele tem uma vasta experiência na obra missionária. Natural de Tijucas (SC), passou por outras cidades como Itajaí, Chapecó, Princesa e Arvoredo.

   A igreja possui 500 membros, distribuídas entre 12 congregações. Algumas ficam a 40 km do Centro. Além dos obreiros locais, a comunidade evangélica tem o apoio da família do missionário Oséias de Lara dos Anjos. Nascido em um lar cristão, no município de Entre Rios, Oseías passou por Pinheiro Preto e está em Ipuaçu há sete meses. Ele nos conta um pouquinho do panorama missionário “Somente dentro da reserva indígena há 8 congregações que ajudamos a supervisionar. Também ajudamos na construção e manutenção de nossas igrejas. Quase todas ficam distantes do Centro. Os desafios são grandes, mas quero, juntamente com minha família, dedicar a minha vida em prol da obra de Deus”, afirma o missionário.

   Ipuaçu também é conhecida pelos estudos ufológicos. Há alguns anos vem aparecendo nas plantações de trigos as marcas de aterrizagem “das naves espaciais”. Obviamente há contradições entre especialistas, agricultores e moradores. O importante é que vidas tem recebido o evangelho e conhecido o homem que “não é desse mundo” e que, ao contrário dos “ETs” tem se revelado a nós com um amor inimaginável – Jesus de Nazaré.